Sim! O PIX vai mudar a sua vida, quer você queira ou não!

Voltar para Blog

Sim! O PIX vai mudar a sua vida, quer você queira ou não!

Lançado pelo Banco Central do Brasil (BC) em outubro de 2020, o PIX chegou em um momento de muitas incertezas e de receio para vários de nós, não só brasileiros, mas todas as pessoas espalhadas ao redor do mundo foram impactadas de alguma forma marcante em seu ano de lançamento 

Leia ou ouça o artigo!

Sim! O PIX vai mudar a sua vida, quer você queira ou não!

A pandemia de COVID-19 mudou hábitos, costumes e está nos fazendo repensar inúmeros modelos de negócios em vários segmentos de atividade econômica. Não bastará existir no mercado, teremos que ser cada vez mais eficientes e explorar a tecnologia de maneira inteligente em busca de uma real sustentabilidade em todas as nossas relações, sejam elas, pessoais ou profissionais, o PIX chega justamente nesse contexto.

Ele é uma dessas tecnologias que buscam facilitar o nosso dia a dia, trazer mais segurança, confiança e eficiência para as nossas atividades corriqueiras. Apesar de ser uma inovação proposta pelo setor financeiro, ela já tem impactado, de maneira positiva, negócios de vários segmentos econômicos, das empresas individuais, prestadoras de pequenos serviços até às grandes empresas multinacionais, não acredita? 

Mas pode acreditar! Essa revolução nos meios de pagamentos impactará mais cedo ou mais tarde a todos. Jovens, adultos, idosos, seja qual for a sua classe social, essa tecnologia de pagamentos instantâneos permite uma verdadeira revolução em como nós, consumidores, nos relacionamos com os nossos credores diariamente, sabe como? Vejamos… 

A forma como faremos os pagamentos da academia de dança ou musculação, do transporte urbano, o pão na padaria, a vaquinha do churrasco no final de semana ou da pizza na sexta-feira à noite, ou seja, independentemente de como e onde você estiver, poderá transferir dinheiro de uma conta para a outra em uma via bem mais rápida e sem custos por toda essa comodidade.

Para que todos possamos entender melhor o que é essa inovação criada pelo BC, o funcionamento do PIX é bem parecido com uma transferência DOC (Documento de Ordem de Crédito), TED (Transferência Eletrônica Disponível) ou até mesmo uma transferência entre contas em uma mesma instituição financeira (IF). A forma de pagamento PIX é mais uma opção nesse contexto, ela não elimina as existentes, mas complementa as nossas opções em pagamentos com aquele toque especial que até então não existia no sistema financeiro brasileiro: baixo custo e transações instantâneas. Está bom para você?

Para se ter uma noção, toda e qualquer transferência PIX é instantânea, independentemente do valornão há cobranças de taxas para pessoas físicas (PF)Mesmo em feriados ou finais de semana é possível fazer transferências de dinheiro de uma conta para outra, seja qual for a IF de origem ou de destino, 24h por dia, 7 dias por semana, todos os dias do ano. E o melhor de tudo, o crédito é feito na conta do destinatário em no máximo 10 segundos.

Está bom demais para ser verdade? Diante de tantas notícias boas, surgem alguns questionamentos sobre a manutenção desse ambiente, como por exemplo: será que os bancos e cooperativas de crédito vão continuar com a gratuidade desse serviço para as PF? E para responder a esse questionamento é importante buscarmos a origem e regulação dessa tecnologia. Ela não foi idealizada e lançada por nenhuma IF isoladamente, mas sim pelo Banco Central do Brasil, desta forma, ela continuará sendo gerida de forma centralizada pelo órgão, bem como, as regras de cobranças e demais características de funcionamento, assim, teremos um ambiente cada vez mais saudável e competitivo para que todas as IF ofertem produtos e serviços cada vez melhores aos seus clientes associados. 

Se você possui uma conta pessoa físicaé importante reforçar que você não terá custos para receber até 30 operações PIX por mês, mesmo que sejam para bancos diferentes. Já quando você possui uma conta de pessoa jurídica, é importante se informar na sua IF quanto irá custar o envio e recebimento de valores via PIX. Não há valores mínimos ou máximos, o que vai determinar as suas possibilidades é, de fato, o saldo em sua conta corrente ou limites de valores que você já possui configurado para transferências diárias. Converse com o gerente da sua conta e saiba como estão os seus limites por lá. 

É importante você saber! Para cada conta que você possui, você poderá cadastrar uma ou mais chaves de acessobem como, para cada IF que você possui uma conta, você poderá determinar qual chave usar. A título de exemplo, você poderá usar e-mail em uma conta, o CPF em outra, o telefone para uma terceira conta e assim por diante com a criação de chaves aleatórias. 

Sabemos que toda novidade gera certa desconfiança na esmagadora maioria dos consumidores, e com o PIX não seria diferente. Muita gente tem me perguntado: pode mesmo um serviço ser tão novo e tão bom quanto a proposta do PIX? Quais os riscos? Não tem nenhum ponto negativo? Bem, na verdade eu vou até precisar de ajuda para conseguir encontrar pontos negativos sobre esse assunto, contudo, um ponto bastante levantado pelas questões que chegaram até mim é sobre a possibilidade de fraudes ou até mesmo sequestros relâmpagos que poderiam ocorrer em face das facilidades que a tecnologia proporciona. 

Honestamente, eu não consigo encontrar nenhum dado ou fato concreto que represente alguma insegurança em torno do PIX, afinal de contas, as transferências eletrônicas em si não são uma novidade para nós consumidores. Tais fraudes ou crimes, já poderiam estar ocorrendo aos montes pelos meios tradicionais de transferências via DOC, TED ou entre contas de uma mesma IF. Não é bem isso que os fatos e dados históricos demonstram, sendo assim, podemos ficar tranquilos com isso, ok? 

Com o avanço tecnológico que estamos percebendo, tudo está ficando cada vez mais seguro. Acessos por biometria digital e facial, token via smartphones, duplo fator de autenticação, entre vários outros recursos para aumento da segurança de nossos dados 

Contudo, alinhado a este contexto, os criminosos também estão se aprimorando cada vez mais, não que eles sejam capazes de invadir sistemas e roubar os seus dados, nada disso. Eles estão ficando cada vez mais ágeis e “inteligentes” na aplicação de golpes que se baseiam em conceitos e práticas de engenharia social ou extorsão por algum suposto crime que você cometeu, mas que não existe, ou seja, eles se passam por parentes, amigos e te abordam em um momento de descuido ou fraqueza psicológica para conseguir códigos de verificação de SMS, e-mail e até tokens de acesso gerados pelos aplicativos da sua IF.  

O risco está no descuido. Atenção! Muita atenção! Seus dados e seu dinheiro estão muito seguros junto ao seu banco ou cooperativa de financeira, contudo, você precisa fazer a sua parte e ficar sempre atento aos contatos que recebe. Ninguém com boas intenções irá solicitar suas senhas, dados ou códigos de acesso via ligação, e-mail, SMS ou WhatsApp e, muito menos lhe pedir para fazer depósitos ou corriqueiramente solicitar transferências sob o pretexto de não lhe expor sobre determinado assunto de sua vida particularFique atento! 

Mesmo após o cadastramento das chaves PIX, saiba que a sua conta continuará com as mesmas características e limites que o seu banco ou cooperativa de crédito já lhe fornece. O PIX é um novo sistema e não uma nova conta corrente. Em termos de segurança, assim como você possui limites e regras de favorecidos para envio de DOC ou TED, assim também é o PIX. 

Fique ligado! A operação de transferência via PIX é irrevogável! Tenha certeza da transferência que irá fazer, analise e confirme todos os dados antes de transferir. Isso é bom pois fornece segurança para os dois lados, pagadores e recebedores terão a segurança de que depois de transferido o valor, ninguém pode voltar atrás, sendo assim, saiba que para o PIX não existe estorno de valores no sistema, qualquer transferência será definitiva. Em resumo, podemos confiar, o BC fez inúmeros testes de segurança e é garantido que todas as formas de chave e cadastramento no PIX são seguras e vão ajudar em muito o nosso cotidiano. 

Será este o fim do dinheiro impresso em papel? Talvez seja muito cedo para afirmar isso, porém, é fato que os custos das IF serão substancialmente reduzidos com o transporte de valores. Para se ter uma noção do impacto dessa tecnologia em nossa economia, atualmente, estima-se que no Brasil exista um custo de aproximadamente R$ 10 bilhões ao ano apenas para transportar dinheiro físico. 

Ainda sobre economia que o PIX irá gerar, você já parou para pensar que poderemos ter menores filas nas instituições financeiras e empresas varejistas? Menos caixas eletrônicos e uma série de outros serviços executados em função do papel moeda simplesmente vão diminuir ou deixarão de existir no médio e longo prazo? É fato, toda essa economia, em algum momento, poderá se traduzir em produtos e serviços com preço mais justos aos clientes e associados, melhorando ainda mais o impacto da justiça financeira já presente há muito tempo nas cooperativas financeiras espalhadas em milhares de cidades em nosso país.  

O impacto do PIX é tão grande que fica até difícil mensurar todas as possibilidades, quer ver só? Pense comigo, atualmente temos mais de 30 milhões de trabalhadores autônomos no país que, ao prestarem seus serviços nos finais de semana ou dias e horários que não há o pleno funcionamento do sistema brasileiro de pagamentos (SPB), até então, quando recebessem via transferências eletrônicas, só veriam a “cor do dinheiro” no próximo da útil seguinte, contudo, agora não é mais preciso aguardar a segunda-feira para ter certeza que todos os valores pelos serviços prestados caíram na conta. Agora com o PIX, a liquidação é imediata! Isso irá fomentar e fazer o dinheiro girar mais rapidamente. Serviço realizado em um dia, recebimento será feito no mesmo dia, na mesma hora, logo após a prestação, não há motivos para aguardar. 

Como já dissemos, o PIX não substitui os sistemas antigos, mas sim agrega redução de custos e aumento de velocidade na liquidação das transferências eletrônicas de valoresVocê pode começar usando o PIX aos poucos, entenda o seu funcionamento e, devagar irá sentindo os benefícios e assim migrando até estar por completo com todas as suas transferências tradicionais para o PIX. É rápido, é fácil, é PIX!  

E você, já cadastrou as suas chaves PIX em seu banco ou cooperativa? Se precisar de mais informações, converse com a gente no WhatsApp Oficial da Sicoob Centro, podemos ajudar! 

 

Por Edgar Kaiser, Diretor Executivo da Sicoob Centro. Ji-Paraná, Rondônia.

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar para Blog